O que é a cafeína, e é boa ou má para a saúde?

Todos os dias, biliões de pessoas dependem da cafeína para acordar, para aguentar aquele turno noturno ou uma quebra de energia durante a tarde.

De facto, este estimulante natural é um dos ingredientes mais utilizados em todo o mundo (1).

A cafeína é frequentemente falada pelos seus efeitos negativos no sono e na ansiedade. No entanto, estudos também relatam que ela tem vários benefícios para a saúde.

Este artigo examina os mais recentes estudos sobre a cafeína e o efeito que esta tem no corpo.

O que é a cafeína?

A cafeína é um estimulante natural frequentemente encontrado em chá, café e cacau, que funciona estimulando o cérebro e o sistema nervoso central, ajudando a que se mantenha alerta e a previna o aparecimento do cansaço.

Os historiadores rastreiam a preparação do primeiro chá a 2737 a.C. (1).

O café pensa-se ter sido descoberto muitos anos mais tarde por um pastor etíope que reparou na energia extra que ele dava às suas cabras.

Os refrigerantes com cafeína chegaram ao mercado no final do século XIX e as bebidas energéticas aparecerem logo a seguir.

Actualmente, 80% da população mundial consome diariamente um produto cafeinado.

Como funciona?

Uma vez consumida, a cafeína é rapidamente absorvida do estômago para o sangue. A partir daí, viaja para o fígado e é decomposta em compostos que podem afectar o funcionamento de vários órgãos.

O principal efeito da cafeína é sobre o cérebro, onde bloqueia os efeitos da adenosina, que é um neurotransmissor que relaxa o cérebro e faz com que se sinta cansado (2).

Normalmente, os níveis de adenosina acumulam-se ao longo do dia, fazendo com que sinta cada vez mais cansaço e sono.

A cafeína ajuda a combater esses sinais, ligando-se aos receptores de adenosina no cérebro sem os activar. Isto bloqueia os efeitos da adenosina, levando à redução do cansaço (3).

Pode também aumentar os níveis de adrenalina no sangue e aumentar a atividade cerebral dos neurotransmissores dopamina e norepinefrina (3).

Esta combinação estimula ainda mais o cérebro e promove um estado de excitação, alerta e concentração. Porque afecta o cérebro, a cafeína é frequentemente referida como uma droga psicoativa.

Além disso, a cafeína tende a exercer os seus efeitos rapidamente. Por exemplo, a quantidade encontrada numa chávena de café pode demorar apenas 20 minutos a chegar à corrente sanguínea e cerca de 1 hora a atingir a eficácia total (1).

Que alimentos e bebidas contêm cafeína?

bebidas-contêm-cafeína

A cafeína encontra-se em sementes, frutos secos ou folhas de certas plantas. Estas fontes naturais são depois colhidas e processadas para produzir alimentos e bebidas com cafeína.

Aqui estão as quantidades de cafeína em doses de 240 ml de algumas bebidas populares (1):

  • Café (expresso): 240-720 mg
  • Café (caneca): 102-200 mg
  • Erva-mate: 65-130 mg
  • Bebidas energéticas: 50-160 mg
  • Chá preparado: 40-120 mg
  • Refrigerantes: 20-40 mg
  • Café descafeinado: 3-12 mg
  • Bebida de cacau: 2-7 mg
  • Leite com chocolate: 2-7 mg

Alguns alimentos também contêm cafeína. Por exemplo, 28 gramas de chocolate de leite contém 1-15 mg, enquanto 28g de chocolate preto contém 5-35 mg.

Também se pode encontrar em alguns medicamentos receitados ou de venda livre, como analgésicos e anti-inflamatórios. É também um ingrediente comum em comprimidos para emagrecer.

Benefícios da cafeína

1) Pode melhorar o humor e a função cerebral

A cafeína tem a capacidade de bloquear a molécula sinalizadora cerebral adenosina.

Isto causa um aumento relativo de outras moléculas de sinalização, tais como a dopamina e a norepinefrina (4, 5).

Pensa-se que esta mudança nas mensagens cerebrais beneficia o seu estado de espírito e função cerebral.

Um estudo relata que após os participantes terem ingerido 37,5-450 mg de cafeína, estes melhoraram o estado de alerta, a memória a curto prazo e o tempo de reação (1).

Além disso, um estudo relacionou o consumo de 2-3 chávenas de café (fornecendo cerca de 200-300 mg de caféina) por dia a um risco 45% menor de suicídio (6).

Outro estudo relatou um risco 13% mais baixo de depressão nos consumidores de cafeína (7).

Quando se trata de humor, mais cafeína não é necessariamente melhor.

Um estudo concluiu que uma segunda chávena de café não produzia mais benefícios, a menos que fosse consumida pelo menos 8 horas após a primeira chávena (8).

Beber entre 3-5 chávenas de café por dia ou mais de 3 chávenas de chá por dia também pode reduzir o risco de doenças cerebrais como Alzheimer e Parkinson em 28-60% (9, 10, 11, 12).

É importante notar que o café e o chá contêm outros compostos bioactivos que também podem ser benéficos.

2) Pode acelerar o metabolismo e a queima de gordura

Devido à sua capacidade de estimular o sistema nervoso central, a cafeína pode acelerar o metabolismo em até 11% e a queima de gordura em até 13% (13, 14, 15).

Praticamente falando, consumir 300 mg por dia pode permitir queimar mais 79 calorias por dia (16).

Esta quantidade pode parecer pequena, mas é semelhante ao excesso calórico responsável pelo aumento de peso médio anual de 1 kg (17).

Contudo, um estudo de 12 anos sobre cafeína e aumento de peso observou que os participantes que mais café bebiam eram, em média, apenas 0,4-0,5 kg mais leves no final do estudo (18).

3) Pode melhorar o desempenho do exercício

exercício

Quando se trata de exercício, a cafeína pode aumentar a utilização de gordura como combustível.

Isto é benéfico porque pode ajudar a glicose armazenada nos músculos a durar mais tempo, atrasando potencialmente o tempo que os músculos levam a atingir a exaustão (19, 20).

Pode melhorar as contrações musculares e aumentar a tolerância à fadiga (1).

Os investigadores observaram que doses de 5 mg por kg de peso corporal melhoraram o desempenho de resistência em até 5% quando consumido 1 hora antes do exercício (21).

Doses tão baixas como 3 mg por kg de peso corporal podem ser suficientes para colher os benefícios (22).

Além disso, estudos relatam benefícios semelhantes em desportos de equipa, exercícios de alta intensidade e exercícios de resistência (22, 23).

Finalmente, pode também reduzir a percepção do esforço durante o exercício até 5,6%, o que pode fazer com que os exercícios se sintam mais fáceis (24).

4) Pode proteger contra doenças cardíacas e diabetes

Apesar do que possa ter ouvido, a cafeína não aumenta o risco de doenças cardíacas (25, 26, 27).

De facto, as provas mostram um risco 16-18% menor de doenças cardíacas em homens e mulheres que bebem entre 1-4 chávenas de café diariamente (fornecendo aproximadamente 100-400 mg de cafeína) (28).

Outros estudos mostram que beber 2-4 chávenas de café ou chá verde por dia está ligado a um risco 14-20% mais baixo de derrame cerebral (29).

Uma coisa a ter em mente é que a cafeína pode aumentar ligeiramente a pressão sanguínea em algumas pessoas. No entanto, este efeito é geralmente pequeno (3-4 mmHg) e tende a desvanecer-se para a maioria dos indivíduos quando consomem café regularmente (30, 31, 32).

Pode também proteger contra a diabetes.

Uma análise observou que aqueles que bebem mais café têm um risco até 29% mais baixo de desenvolver diabetes tipo 2. Da mesma forma, aqueles que consomem mais cafeína têm um risco até 30% mais baixo (33).

Os autores observaram que o risco diminui de 12-14% por cada 200 mg de consumida (33).

Curiosamente, o consumo de café descafeinado estava também ligado a um risco 21% mais baixo de diabetes. Isto indica que outros compostos benéficos no café também podem proteger contra a diabetes de tipo 2 (33).

5) Outros benefícios do café para a saúde

O consumo de café está ligado a vários outros benefícios para a saúde:

  • Protecção do fígado. O café pode reduzir o risco de lesões hepáticas (cirrose) em até 84%. Pode retardar a progressão da doença, melhorar a resposta ao tratamento e diminuir o risco de morte prematura (34, 35).
  • Longevidade. Beber café pode diminuir o risco de morte prematura em até 30%, especialmente para mulheres e pessoas com diabetes (36, 37).
  • Diminuição do risco de cancro. Beber 2-4 chávenas de café por dia pode reduzir o risco de cancro do fígado em até 64% e o risco de cancro colorrectal em até 38% (38, 39, 40, 41, 42).
  • Protecção da pele. Consumir 4 ou mais chávenas de café com cafeína por dia pode reduzir o risco de cancro da pele em 20% (43, 44).
  • Redução do risco de EM. Os consumidores de café podem ter um risco até 30% menor de desenvolver esclerose múltipla (EM). No entanto, nem todos os estudos estão de acordo (45, 46).
  • Prevenção da gota. Beber regularmente 4 chávenas de café por dia pode reduzir o risco de desenvolvimento de gota em 40% nos homens e 57% nas mulheres (47, 48).
  • Saúde intestinal. Consumir 3 chávenas de café por dia durante apenas 3 semanas pode aumentar a quantidade e a actividade das bactérias intestinais benéficas (49).
  • Tenha em mente que o café também contém outras substâncias que melhoram a saúde. Alguns benefícios listados acima podem ser causados por outras substâncias que não a cafeína.

Segurança e efeitos secundários

efeitos secundários

O consumo de cafeína é geralmente considerado seguro, apesar da formação de hábito.

Alguns efeitos secundários ligados ao consumo excessivo incluem ansiedade, agitação, tremores, batimentos cardíacos irregulares, e problemas para dormir (50).

Demasiada cafeína pode também promover dores de cabeça, enxaquecas e tensão arterial elevada em alguns indivíduos (51, 52).

Além disso, pode facilmente atravessar a placenta, o que pode aumentar o risco de aborto ou baixo peso à nascença. As mulheres grávidas devem limitar a sua ingestão (53, 54).

Também pode interagir com alguns medicamentos.

Os indivíduos que tomam o relaxante muscular Zanaflex ou o antidepressivo Luvox devem evitar a cafeína porque estes fármacos podem aumentar os seus efeitos (55).

Doses recomendadas

A Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar (EFSA) considera segura uma dose diária de 400 mg de cafeína. Isto equivale a 2-4 chávenas de café por dia (56).

Dito isto, vale a pena notar que foram relatadas overdoses fatais com doses únicas de 500 mg.

Portanto, recomenda-se limitar a quantidade de cafeína consumida de uma só vez a 200 mg por dose (57, 58).

As mulheres grávidas devem limitar a sua ingestão diária a 200 mg (59).

Conclusão

A cafeína não é tão má como se pensava antigamente.

De facto, os estudos mostram que pode ser exactamente o oposto, por isso é seguro considerar a sua chávena diária de café ou chá como uma forma agradável de promover a boa saúde.

Emilia
Olá! O meu nome é Emilia. Sou a fundadora do Guia da Saúde e a pessoa responsável por colocar no website os artigos de informação criados pela nossa fantástica equipa de médicos, nutricionistas, fisioterapeutas e personal trainers. Em conjunto, temos largos anos de experiência que pomos em prática para lhe disponibilizar as melhoras dicas possíveis nos mais diversos tópicos de saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Segue-nos nas redes sociais:

4,045FãsCurtir
48SeguidoresSeguir